segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Fies e Prouni têm calendário alterado por questões técnicas; veja as novas datas:

Datas de início e fim das inscrições foram adiadas em um dia. MEC diz que mudança foi solicitada pela área técnica para garantir mais segurança ao sistema.

Ministério da Educação anunciou que mudou as datas de inscrições para novas vagas de contratos de financiamento do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e para bolsas de estudos do Programa Universidade para Todos (Prouni). Em nota divulgada na noite da segunda-feira (23), o MEC diz que o motivo das alterações envolve questões técnicas dos sistemas. As inscrições são feitas exclusivamente pela internet. 


Veja abaixo as novas datas:
Financiamento Estudantil (Fies)
  • Inscrições: 7 a 10 de fevereiro
  • Para que serve: Sistema on-line que reúne vagas de financiamento estudantil em cursos de graduação em universidades particulares.
  • Como funciona: Os estudantes que já estão matriculados em cursos de instituições participantes podem pleitear um contrato de financiamento estudantil custeado pelo governo federal.
  • Número de vagas: Ainda não foi divulgado pelo MEC. O ministro da Educação, Mendonça Filho, porém, garantiu que o número de novos contratos do Fies no ano de 2017 deverá ser pelo menos o mesmo que em 2016.
Programa Universidade para Todos (Prouni)
  • Inscrições: 31 de janeiro a 3 de fevereiro
  • Para que serve: Sistema on-line que reúne vagas de bolsas de estudo em cursos de graduação em universidades particulares.
  • Como funciona: Os estudantes podem selecionar até duas opções de cursos; o sistema seleciona os aprovados segundo a nota do Enem, considerando os pesos específicos de cada opção. As bolsas oferecidas podem ser parciais ou integrais.
  • Número de vagas: Ainda não foi divulgado pelo MEC.
Segundo a nota do MEC, "razões técnicas exigiram a prorrogação do prazo das inscrições nos dois programas em um dia para garantir a segurança da operação do sistema". Paulo Barone, secretário de Educação Superior do MEC, explicou na nota que a mudança é "apenas uma precaução técnica" tomada e que "todos os candidatos serão atendidos rigorosamente de acordo com suas notas obtidas no Enem".

Sisu com problemas de acesso

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abriu as inscrições nesta terça-feira (24), mas, até a tarde desta terça, muitos candidatos reclamaram de problemas de acesso. Em nota divulgada no início da tarde, o MEC afirmou que 770 mil pessoas haviam conseguido fazer inscrições no primeiro dia de acesso ao Sisu. As inscrições ficam abertas até esta sexta-feira (27). 

 

 
 

Sisu 2017: resultados são divulgados. Confiram aqui:

Inscrições ocorreram até as 23h59 de domingo (29). Estudantes podem consultar resultado pelo portal do Sisu.


Os resultados da primeira edição de 2017 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foram divulgados nesta segunda-feira (30), no portal http://sisu.mec.gov.br/selecionados. Caso não consiga visualizar o resultado, a recomendação é limpar o cache ou apertar F5 na página do Sisu.
De acordo com o MEC, ao todo, foram 2.498.261 inscritos e 4.880.047 inscrições, já que quase todos os candidatos fizeram duas opções de curso.
Os aprovados devem realizar a matrícula nos dias 3, 6 e 7 de fevereiro, nas instituições em que estudarão. O ministério esclarece que o prazo da chamada regular pode ser estendido, a critério da instituição, até quarta-feira (8).
Caso não tenha sido selecionado, o estudante também pode participar da lista de espera. Para isso, é preciso acessar o Sisu de 30 de janeiro a 10 de fevereiro para registrar interesse na vaga. Para ter acesso ao sistema http://sisualuno.mec.gov.br/, o estudante precisa digitar o número de inscrição e senha no Enem 2016. Os resultados serão publicados pelas próprias universidades, a partir do dia 16 de fevereiro.
Ao todo, foram oferecidas mais de 230 mil vagas de graduação em universidades, institutos de tecnologia e centros tecnológicos federais e estaduais em todo o Brasil. Os resultados tomam como base a nota dos candidatos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016.

Prorrogação das inscrições

No cronograma inicial, o prazo para inscrições no Sisu terminaria na última sexta-feira (27). Entretanto, o MEC prorrogou o prazo após estudantes relatarem problemas para acessar a plataforma. O ministério admitiu que seus sistemas sofreram 'dificuldade' diante da grande demanda.
Antes de prorrogar o Sisu, a pasta já tinha decidido alterar o cronograma do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e do Programa Universidade para Todos (Prouni) por "precaução técnica" para garantir o atendimento dos estudantes. Tanto o Fies quanto o Prouni tiveram datas de início e fim das inscrições adiados em um dia.
Prouni - inscrições: 31 de janeiro a 3 de fevereiro
Fies - inscrições: 7 a 10 de fevereiro
O total de contratos de financiamentos do Fies ainda não foi divulgado. O Prouni do 1º semestre vai oferecer 214.110 bolsas integrais ou parciais em universidades privadas.

Falha no acesso ao Sisu

No caso do Sisu, desde que foram abertas as inscrições na terça-feira (24), estudantes reclamaram que não conseguiam fazer sua inscrição. O MEC admitiu o problema, mas não deu um balanço do total de afetados.
Na quinta, o governo disse que os problemas foram resolvidos. "As inconsistências encontradas no sistema, que dificultavam o acesso de candidatos das primeira e segunda aplicações, foram sanadas. Qualquer problema pontual é preciso que o candidato entre em contato com o MEC por meio do 0800 61 61 61 ou pelo ouvidoria@mec.gov.br", informou em nota.

Problemas com notas do Enem

O Sisu não foi o único sistema do Ministério da Educação a ter problemas neste ano. Muitos candidatos que fizeram o Enem 2016 também tiveram problemas para acessar a nota. A consulta, que é individual e feita exclusivamente pela internet, deveria ter sido aberta no dia 19 de janeiro, mas acabou sendo antecipada para 18 de janeiro, a pedido do ministro da Educação, Mendonça Filho.
Porém, muitos candidatos só conseguiram ver seus resultados um ou dois dias depois - a maioria havia feito a segunda aplicação do Enem.
Logo após a divulgação, o site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apresentou instabilidade e ficou indisponível durante algumas horas para todos os participantes. À época, a presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini, justificou afirmando que o site do Enem sofria ataques. Ela não deu detalhes das supostas ações contra o sistema.
De acordo com o Inep, oito dias após a publicação dos resultados da edição 2016 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), 351.856 participantes ainda não consultaram suas notas. Às 18h desta quinta-feira, 26, o número de participantes que já tinham acessado os resultados chegou a 5.150.542 pela Página do Participante e 376.291 pelo Aplicativo Enem 2016. 

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

MEC divulga calendário do Sisu, ProUni e Fies. Confiram aqui para não perderam os prazos:

Inscrições no Sisu poderão ser feitas entre 24 e 27 de janeiro

O Ministério da Educação (MEC) divulgou, nesta quarta-feira (17), o cronograma da primeira edição de 2017 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Programa Universidade Para Todos (Prouni) e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Também já estão disponíveis as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016, necessárias para a inscrição no sistema.
Veja também
Sisu
As inscrições para o Sisu estarão abertas de 24 até 27 de janeiro. A partir desta quinta-feira, 19, a consulta às bases de dados das instituições, com os cursos e vagas disponíveis, já poderá ser realizada. O número de vagas aumentou: são mais 238 mil, em relação a 205,5 mil no ano anterior. Além disso, cinco instituições públicas aderiram ao sistema: de 128, passou a 131 em 2016.
O Sisu é um programa do governo federal que seleciona estudantes para instituições federais e estaduais de ensino superior, acontecendo duas vezes ao ano: no primeiro e no segundo semestre. Para se candidatar às vagas é necessário acessar o site do Sisu, informar o número de inscrição no Enem e escolher, por ordem de preferência, até duas opções nas vagas ofertadas pelas instituições participantes do programa.
Durante o período de inscrição, o Sisu calcula uma vez por dia a nota de corte para cada curso, com base no número de vagas disponíveis e nas notas dos candidatos inscritos. O candidato pode, durante o período de inscrição, modificar sua opção quantas vezes quiser. É importante ressaltar que o Sisu considera somente a última inscrição concluída.
ProUni
Estudantes poderão se inscrever para o ProUni entre 30 de janeiro a 2 de fevereiro. Pode se inscrever o estudante que não tenha diploma de curso superior e que tenha feito Enem, com no mínimo 450 pontos na média das notas e com nota acima de zero na redação.
O estudante ainda precisa atender a pelo menos uma das seguintes condições: ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou como bolsista integral; ter cursado o ensino médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente como bolsista integral; ser pessoa com deficiência; ser professor da rede pública de ensino.
Pode concorrer à bolsa integral o candidato cuja renda familiar bruta mensal per capita não exceda o valor de 1,5 salário-mínimo. As bolsas parciais são para os casos em que a renda familiar bruta mensal per capita não exceda o valor de três salários mínimos.
Fies
As inscrições para o Fies serão recebidas de 6 ao 9 de fevereiro. O Fies oferece financiamento de cursos superiores em instituições privadas a uma taxa de juros de 6,5% ao ano. O aluno só começa a pagar a dívida após a formatura. O percentual do custeio é definido de acordo com o comprometimento da renda familiar mensal bruta per capita do estudante.
Fonte: http://guiadoestudante.abril.com.br/enem/mec-divulga-calendario-do-sisu-prouni-e-fies/

SIMULE A SUA NOTA DO ENEM E A NOTA DE CORTE POR CURSOS, Aqui:

Site simula a nota de corte do Sisu

Ferramenta é uma parceria do Guia do Estudante com a empresa Evolucional


O Guia do Estudante, em parceria com o site Evolucional, lançou o Mapa do Sisu, que simula a nota de corte do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).
Para fazer a simulação, o site compara a nota do Enem do candidato com as notas de corte do Sisu do 1º semestre de 2016. O programa leva em consideração os pesos que as universidades utilizaram nesta edição do Sisu e, inclusive, mostra quais foram as notas de corte dia a dia. Com essa informação, você pode simular diversas situações e visualizar em quais opções conseguiria passar.
Veja também
Sisu
As inscrições para o Sisu estarão abertas de 24 até 27 de janeiro. A partir desta quinta-feira, 19, a consulta às bases de dados das instituições, com os cursos e vagas disponíveis, já poderá ser realizada. O número de vagas aumentou: são mais 238 mil, em relação a 205,5 mil no ano anterior. Além disso, cinco instituições públicas aderiram ao sistema: de 128, passou a 131 em 2016.
O Sisu é um programa do governo federal que seleciona estudantes para instituições federais e estaduais de ensino superior, acontecendo duas vezes ao ano: no primeiro e no segundo semestre. Para se candidatar às vagas é necessário acessar o site do Sisu, informar o número de inscrição no Enem e escolher, por ordem de preferência, até duas opções nas vagas ofertadas pelas instituições participantes do programa.
Durante o período de inscrição, o Sisu calcula uma vez por dia a nota de corte para cada curso, com base no número de vagas disponíveis e nas notas dos candidatos inscritos. O candidato pode, durante o período de inscrição, modificar sua opção quantas vezes quiser. É importante ressaltar que o Sisu considera somente a última inscrição concluída.
Fonte: http://guiadoestudante.abril.com.br/enem/site-simula-a-nota-de-corte-do-sisu/

Sisu abre inscrição para vagas do primeiro semestre de 2017.

São mais de 238 mil vagas em 131 instituições federais de ensino superior. Estudantes podem se inscrever pelo site até sexta usando a nota do Enem 2016.

 


Sisu 2017 já está recebendo as inscrições (Foto: Reprodução)
As incrições para a primeira edição de 2017 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foram abertas na madrugada desta terça-feira (24) e vão até sexta-feira (27). As inscrições devem ser feitas no site http://sisu.mec.gov.br/.
(Correção: o G1 errou ao informar que o Sisu oferecia 328.397 vagas, o correto é 238.397. O erro foi corrigido às 8h)
Os estudantes podem selecionar até duas opções de cursos; o sistema seleciona os aprovados segundo a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), considerando os pesos específicos de cada opção. A primeira nota de corte será divulgada à 1h desta quarta-feira (25), no site do Sisu.
No primeiro semestre de 2017, serão 238.397 vagas de graduação em 131 universidades federais, institutos federais de educação, ciência e tecnologia e instituições estaduais. Segundo o MEC, o aumento de vagas foi de 4,5% em relação ao primeiro semestre de 2016.
CALENDÁRIO DO SISU
  • Inscrições: 24 a 27 de janeiro
  • Chamada regular: 30 de janeiro
  • Prazo para entrar na lista de espera: 30 de janeiro a 10 de fevereiro
  • Matrícula da chamada regular: 3 a 7 de fevereiro
  • Convocação dos candidatos da lista de espera: a partir de 16 de fevereiro

Dúvidas sobre o Sisu

Abaixo, o G1 lista 13 dúvidas básicas que mostram quais são os passos essenciais para participar do processo que utiliza a nota do Enem.
Veja a lista de dúvidas respondidas nesta reportagem:
  • Como funciona o sistema?
  • Qual o prazo e como fazer a inscrição?
  • É preciso ter nota mínima?
  • Qual a diferença de ampla concorrência e ações afirmativas?
  • Sempre vale a pena disputar vagas pela lei de cotas?
  • Minha nota no Enem será a mesma em todas as universidades?
  • O que é a nota de corte que aparece em cada curso?
  • Como escolher a primeira e a segunda opção de curso?
  • Como usar a 'classificação parcial'?
  • Quando sai o resultado?
  • Como funcionam as listas de espera?
  • Terei nova chance no segundo semestre?
  • O que fazer em caso de problemas técnicos?

Como funciona o sistema?

O Sisu seleciona os candidatos considerando as notas no Enem, divulgadas na última quarta-feira (18). Podem participar deste primeiro semestre, qualquer pessoa que tenha feito uma das três edições do Enem em 2016. São oferecidas 238.397 vagas de graduação em 131 universidades federais, institutos federais de educação, ciência e tecnologia e instituições estaduais. Segundo o MEC, o aumento de vagas foi de 4,5% em relação ao primeiro semestre de 2016.

Qual o prazo e como fazer a inscrição?

Até as 23h59 desta sexta-feira (27) é possível fazer a inscrição e mudar as escolhas quantas vezes o estudante quiser. O candidato deve acessar o site do Sisu (http://sisu.mec.gov.br/) e preencher os campos com número de inscrição no Enem 2016 e senha. Em seguida, é possível visualizar as notas no exame – divididas pelos campos de conhecimento.
Para fazer a inscrição, após visualizar seu desempenho, o estudante deve realizar uma busca por curso, instituição de ensino ou cidade. Ele precisa indicar a primeira e a segunda opção de curso a que deseja concorrer.

É preciso ter nota mínima?

Sim, algumas instituições estabelecem uma nota mínima para candidatos às suas vagas. O estudante precisa ficar atento porque algumas universidades definem pesos diferentes para cada área de conhecimento. Um curso de física, por exemplo, pode dar mais peso à nota de ciências da natureza.
Por isso, caso não tenha atingido a nota para determinada vaga, o sistema avisará que não é possível concluir o processo.

Qual a diferença de ampla concorrência e ações afirmativas?

As ações afirmativas estão garantidas pela lei federal prevê quatro tipos de cotas: alunos de escola pública; para alunos de escola pública que tenham renda familiar de até 1,5 salário mínimo; para alunos de escola pública que se declarem negros, pardos ou indígenas; e para alunos de escola pública que tenham renda familiar de até 1,5 salário mínimo e também se declarem negros, pardos ou índios.
O candidato deve optar, na inscrição, se deseja participar das vagas reservadas pela lei de cotas ou se concorrerá pelas demais.
Desta parcela de vagas reservadas a quem estudou em escola pública, metade é destinada àqueles com renda familiar bruta mensal por pessoa de até um salário mínimo e meio. Também há critérios de cor ou raça – para pretos, pardos e índigenas, de acordo com a parcela que representam na população na unidade da Federação onde a faculdade se encontra. O dado pode ser consultado no último Censo divulgado.
Algumas universidades podem, além das cotas, adotar um bônus como forma de ação afirmativa. Nesse caso, o estudante entra no grupo de ampla concorrência e sua nota recebe a bonificação estipulada pela instituição de ensino.
É essencial que o candidato que disputará vagas de cotas tenha a documentação que comprove o seu direito. Caso seja convocado e não mostre os papéis requisitados pela universidade, perderá a vaga.

Sempre vale a pena disputar vagas pela lei de cotas?

Não. É preciso verificar as notas de corte. Como elas variam de acordo com o desempenho dos inscritos para cada vaga, não é possível garantir que cotistas terão mais facilidade para ser aprovados do que os candidatos da ampla concorrência. Por isso, às vezes vale a pena “abrir mão” por uma nota de corte menor.

Minha nota no Enem será a mesma em todas as universidades?

Não necessariamente. Cada universidade pode atribuir pesos diferentes às disciplinas, ou seja, o mesmo candidato pode ter uma nota mais alta em uma universidade e mais baixa em outra. Esse cálculo da nota no Sisu tem como base espécies de "bonificações" que o sistema aplicará automaticamente sobre a nota obtida no Enem 2016.

O que é a nota de corte que aparece em cada curso?

Ao buscar cursos no sistema, o estudante encontra a nota de corte já calculada. Ela foi baseada no desempenho do último candidato que seria aprovado, de acordo com o número de vagas. Por exemplo: em um curso que oferece 30 vagas, a nota de corte será a nota do 30º candidato com melhor desempenho, dentre os que se inscreveram nesta opção.
Essa nota de corte é dinâmica e varia de acordo com a procura pelos cursos. O MEC reforça que as notas de corte são apenas uma referência para auxiliar o estudante no processo de escolha de cursos. Mesmo estando acima da nota mínima, pode ocorrer que o candidato não seja aprovado porque o sistema é dinâmico e recebe novas inscrições ao longo do dia.

Como escolher a primeira e a segunda opção de curso?

A primeira opção deve ser o que o candidato prefere cursar. A segunda opção deve ser o que aceitaria estudar, mas não consiga a primeira opção.
Isso porque, caso o candidato seja aprovado tanto na primeira quanto na segunda opção, ele não poderá fazer a escolha: só terá como se matricular naquele curso que foi indicado em primeiro lugar. Por isso, é importante realmente colocar em primeiro o que for mais desejado.
Caso a pessoa só seja aprovada na segunda opção, ela pode continuar concorrendo por uma vaga no curso indicado como prioritário.
Se o candidato não for aprovado em nenhuma das duas opções, ele só poderá concorrer a vagas na reclassificação relativas ao primeiro curso indicado.
Tanto na primeira quanto na segunda opção, o candidato deve tentar fazer uma escolha consciente e apontar cursos em que realmente tenha chance de ser aprovado. Uma forma de se guiar nesse momento é examinar as notas de corte parciais divulgadas no Sisu. Caso sejam muito distantes daquela alcançada pelo estudante, a chance de ser convocado diminui – ou seja, não compensa “gastar” sua inscrição em algo que parece tão distante.

Como usar a 'classificação parcial'?

Após escolher o curso, o sistema exibe a chamada “classificação parcial”. Ela funciona como uma referência que auxilia o candidato a entender se tem ou não chances de ser aprovado. Ele pode estar, por exemplo, em 38º em um curso de 30 vagas. Ou seja: 8 pessoas precisam mudar suas escolhas para que ele consiga a vaga na primeira chamada (ou que oito não se matriculem e ele tenha manifestado interesse na lista de espera).

Quando sai o resultado?

O Sisu divulgará a única lista de aprovados no dia 30 de janeiro. As matrículas serão feitas entre os dias 3 e 7 de fevereiro.

Como funcionam as listas de espera?

Caso estudantes convocados na lista do Sisu não façam a matrícula ou desistam posteriormente dela, podem abrir novas vagas no curso. Elas serão disputadas pelos candidatos que indicaram aquele curso como primeira opção no sistema.
Para concorrer a uma dessas vagas, o estudante deve manifestar interesse em participar do processo seletivo. Entre os dias 30 de janeiro e 10 de fevereiro, precisam entrar no portal do Sisu para formalizar o pedido.
Caso haja vagas, a convocação será feita pelas próprias universidades, a partir de 16 de fevereiro – não mais pelo portal. Cabe a cada candidato ficar atento ao calendário da faculdade pretendida.

Terei nova chance no segundo semestre?

Haverá uma segunda edição do Sisu ainda em 2017, que tomará como base as mesmas notas do Enem 2016. Todos os que fizeram o exame e não zeraram a redação podem participar novamente do processo, mesmo que já estejam matriculados em alguma universidade.
É importante verificar nos editais dos cursos se haverá oferta de vagas para o segundo semestre. Alguns são anuais e só abrem processos seletivos uma vez ao ano.

O que fazer em caso de problemas técnicos?

Se o candidato tiver dificuldades para fazer a inscrição, deve ligar para o 0800-616161. É comum que o problema esteja no computador usado pelo estudante. Vale a pena tentar em outras máquinas ou mudar o navegador do computador.
É recomendado não deixar para fazer a inscrição em cima da hora: problemas técnicos podem acontecer no site do Sisu e o candidato passará a correr o risco de perder a oportunidade de concorrer. 

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Inscrições para o Sisu começam terça-feira (24 Jan 2017); consulta pode ser feita no site. Confira aqui:

Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil

sala de aula
O Sisu seleciona os estudantes com base na nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)Arquivo/Agência Brasil
As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) começam esta semana, do dia 24 ao dia 27 de janeiro. As vagas já estão disponíveis e os estudantes podem aproveitar o final de semana para pesquisar as melhores opções.
A consulta pode ser feita no site do Sisu por curso, instituição e município. Ao todo, são 238.397 vagas 131 instituições públicas.
O Sisu seleciona os estudantes com base na nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Cabe a cada instituição definir o cálculo que utilizará para a seleção dos novos alunos. Para participar do processo, o estudante não pode ter tirado nota zero na redação do exame. Ao todo, mais de 6,1 milhões fizeram o Enem em 2016.
Nota de corte 
Após a abertura das inscrições, uma vez por dia, são divulgadas ao notas de corte de cada um dos cursos, tanto pelo sistema universal quanto pelo sistema de cotas.
O candidato também pode consultar, em seu boletim, a sua classificação parcial na opção de curso escolhido. Ao final do período de inscrição, é divulgada a lista de selecionados. No boletim de acompanhamento, o candidato pode consultar sua classificação e o resultado final. Ao longo do período de inscrição, o candidato pode mudar as opções de curso.
O Ministério da Educação (MEC) ressalta que o tanto a classificação parcial quanto a nota de corte são calculadas a partir das notas dos candidatos inscritos na mesma opção. Portanto, são apenas uma referência, não sendo garantia de seleção para a vaga ofertada.
O resultado será divulgado no dia 30. O período de matrícula será de 3 a 7 de fevereiro. Os candidatos que não forem selecionados na chamada regular para as vagas poderão participar da lista de espera, entre 30 de janeiro e 10 de fevereiro. Esses candidatos serão convocados a partir do dia 16 de fevereiro, caso haja vagas remanescentes.
Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2017-01/incricoes-para-o-sisu-comecam-na-terca-feira

Ministro afirma que Enem deste ano não servirá como certificação do ensino médio

Mendonça Filho falou sobre a separação do exame do Encceja, que será ampliado; Outras mudanças podem acontecer

Brasília - O ministro da Educação, Mendonça Filho, confirmou nesta terça que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não servirá mais como meio para se obter uma certificação de conclusão do ensino médio.
“A notícia deve ser oficializada amanhã, a separação do Enem em relação ao Encceja [Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos]”, disse Mendonça Filho após sair de uma reunião com a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).
Segundo o ministro, o Encceja, que já é aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) todos os anos como meio de certificação de conclusão do Ensino Fundamental, será ampliado para servir também como certificação do Ensino Médio já a partir do segundo semestre deste ano.
"O Enem não servirá como instrumento de certificação e conclusão de Ensino Médio e sim como instrumernto de acesso ao ensino superior... [pois] termina exigindo de um jovem ou de adulto que queira a certificação no ensino médio mais do que seria necessário, é uma imposição de um ônus, de ter que ter um conhecimento a mais, para aqueles que só querem ter uma certificação no Ensino Médio", disse Mendonça Filho.
Ministro da Educação, Mendonça Filho anunciou mudanças no Enem Agência Brasil
A provável exclusão do certificado de conclusão do ensino médio do Enem havia sido antecipada pela presidente do Inep, Maria Inês Fini, em novembro. Outra possível alteração seria a exclusão de treineiros, aqueles que fazem a prova só para testar conhecimentos.
Uma consulta pública será lançada quarta a respeito de outras alterações no Enem, com o objetivo de adequar o exame à reforma no Ensino Médio, ainda em discussão no Congresso Nacional. Mendonça Filho dará entrevista coletiva sobre o assunto às 11h de quarta-feira.
Bibliotecas em presídios
O motivo da ida de Mendonça Filho ao STF foi para firmar com Cármen Lúcia um contrato que oficializa o fornecimento de 20 mil livros para a implantação de bibliotecas em 40 penitenciárias.
Segundo o ministro da Educação, a primeira unidade contemplada deverá ser uma penitenciária feminina em Minas Gerais, na próxima quinta-feira, em solenidade com a presença de Cármen Lúcia, embora a agenda não tenha sido confirmada pela assessoria do STF. 
A parceria já vinha sendo discutida desde novembro, mas a oficialização da medida se deu somente nesta terça-feira, servindo também como um anúncio positivo em meio a uma das maiores crises já vividas pelo sistema carcerário nacional.
Desde o início do ano, ao menos 127 presos foram assassinados durante rebeliões em unidades prisionais do Amazonas, de Roraima e do Rio Grande do Norte, estados que convivem com uma disputa entre facções pelo controle das prisões. 

Professores dão dicas de como montar método de estudos para se dar bem no Enem

Resultado do último Exame Nacional do Ensino Médio mal saiu e professores e candidatos já estão atentos ao Enem deste ano, cujas provas acontecem em outubro

Recomendações incluem uma programação especial para Matemática e Redação, devido à dificuldade comum dos alunos e à pontuação Sandro Vox
O coordenador de vestibular do Colégio Qi, Renato Pellizzari, explica que o planejamento de estudos não deve ficar engessado ao longo do ano. “O planejamento reflete as necessidades especiais do aluno. Quando o estudante começa o ano, ele tem que pensar em quais áreas tem defasagem. Ele pode dar mais ênfase às matérias que tem dificuldade”, diz.
A começar por essas disciplinas, o candidato pode mudar o planejamento durante a preparação, de acordo com suas percepções. “Pode melhorar em certas disciplinas, pode ver que o horário não está dando certo. À medida que ele vai conhecendo melhor seu corpo, vai mudando o planejamento de estudos. O rendimento também vai mostrar isso. Às vezes se verifica que a pessoa tem que estudar menos porque está ficando com sono, cansada”, aponta Pellizzari.
Também é indispensável, diz o professor, tirar um dia para descansar. “O aluno tem que vibrar com cada conquista. Se ele fizer tudo o que planejar, tem que celebrar”. Pellizzari ressalta a importância de não se deixar abalar pela pressão. É preciso ter tranquilidade. “O candidato tem que estar muito preocupado em buscar o autocontrole, a autodisciplina.”
Diretor do curso pH, Vicente Delorme aconselha os futuros candidatos a começar os estudos pelas provas de anos anteriores, disponíveis no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). “Pode separar pelo menos um dia por semana para fazer provas antigas à tarde. Além de fazer isso, vai ter deveres de casa escolares tradicionais. Mas o ideal é que analise o gabarito para ter ideia do que não conseguiu acertar na prova”, indica. Delorme recomenda uma carga horária de seis horas por dia na escola ou no cursinho e de três horas em casa. Também é importante, diz, praticar atividades físicas pelo menos duas vezes por semana.
Segundo a professora Marília Costa, coordenadora do Sistema Elite de Ensino, o aluno que pretende ser bem sucedido no Enem precisa levar em consideração disciplina de estudo, estudar em local sem distração, ter um material organizado e descobrir pontos fortes e fracos para determinar melhor os horários. “Matemática é específica, assim como Linguagens. Acaba tendo uma necessidade maior. Para a Redação seria bom dedicar umas três horas: uma hora de escrita e duas para ler e planejar semanalmente”, aconselha Marília.
Um segredo é buscar equilíbrio e autocontrole durante os estudos e na hora de fazer questões das provas Divulgação
Ao todo, o Sisu 238.397 vagas 131 instituições públicas. O resultado será divulgado no dia 30. O período de matrícula será de 3 a 7 de fevereiro. Os candidatos que não forem selecionados poderão participar da lista de espera, entre 30 de janeiro e 10 de fevereiro, e serão convocados a partir do dia 16 de fevereiro, caso haja vagas remanescentes. Ao todo, mais de 6,1 milhões fizeram o Enem em 2016.  
Preparativos para a prova já começaram
Pode parecer cedo, mas já tem gente se preparando para o exame de 2017. Marianny Salles, de 18 anos, quer passar para Medicina em uma universidade pública. Ela já bateu na trave duas vezes, mas não desiste do sonho. “Quando estava no 3º ano, estudei mais para passar de ano, não para o Enem”, explica. A jovem vai fazer o cursinho do Qi, mas, nas férias, os estudos já começaram em casa. Marianny também aproveita o recesso para se exercitar na academia todos os dias. Quando as aulas começarem, vai reduzir a carga.
Dicas
Confira dicas selecionadas por professores:
Começar pelas disciplinas de maior dificuldade.
Estudar a partir de provas dos anos anteriores.
Dar certa ênfas e em Matemática e Redação. A Matemática costuma ser um problema para os alunos, e é sempre bastante valorizada. Uma boa nota na Redação pode fazer a diferença na aprovação do estudante.
Relacionar conteúdo das áreas de Ciências Humanas com a produção da Redação.
Fazer pausas entre blocos de disciplinas. Por exemplo: dividir a tarde em seis aulas e fazer um intervalo a cada três ou quatro aulas, dependendo da capacidade de concentração.
Elaborar um cronograma de estudos com cerca de três horas por dia em casa.
Estudar em local sem grandes distrações.
Tirar pelo menos um dia de descanso por semana.
Praticar exercícios físicos regularmente.
Buscar autocontrole. Acompanhamento psicológico é recomendável em casos extremos de nervosismo.
Fonte: http://odia.ig.com.br/educacao/2017-01-23/professores-dao-dicas-de-como-montar-metodo-de-estudos-para-se-dar-bem-no-enem.html

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Cai número de alunos com nota mil na redação do Enem e sobe total de zero


Diminuiu o número de alunos que conseguiram tirar a nota máxima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e aumentou a quantidade daqueles que tiraram zero no último ano. O acesso às notas do Enem 2016 foi liberado nesta quarta-feira (18).
Em 2016, só 77 participantes do exame conseguiram alcançar nota mil na redação, segundo o Ministério da Educação (MEC). O número é menor do que o registrado no ano anterior, quando 104 candidatos conseguiram nota máxima. Em 2014, foram 250 redação com notas mil.

Número de redações nota mil no Enem caiu quase 70% em dois anos (Foto: Editoria de Arte/G1)

Aumento das notas zero

Embora o MEC tenha adotado critérios diferentes de divulgação entre 2015 e 2016, os dados apontam que houve aumento no total de alunos que ficaram com nota zero. Em 2015, 53 mil participantes ficaram nesta situação.
Nesta edição, 84.236 ficaram com nota zero por causa de um dos seis motivos abaixo:
  1. fuga ao tema
  2. cópia de texto motivador
  3. texto insuficiente
  4. não atendimento ao tipo textual
  5. parte desconectada
  6. propostas que ferem os direitos humanos
Além disto, nesta edição, houve ainda 206.127 mil pessoas que ficaram com nota zero por causa do não comparecimento ao segundo dia de provas, ou por deixar a redação em branco.
O principal motivo para a anulação (46.874 candidatos) foi fuga ao tema. Quase 5 mil alunos tiveram seus textos desconsiderados pela banca examinadora por ferir os direitos humanos, impeditivo previsto em edital.
O MEC não divulgou detalhes sobre os motivos da anulação em 2014.
A média total dos participantes do Enem 2016 também caiu em ciências da natureza e ciências humanas e subiu em linguagens e matemática.

Média geral nas quatro áreas

Em linguagens e códigos, a nota média total foi de 520,5 pontos. No Enem 2015, a média foi 505,3 pontos. Em 2014, a nota foi 507,9 pontos.
Em matemática, a média foi 489,5 pontos, sendo que nos anos anteriores havia sido de 467,9 (2015) e 473,5 (2014).
Em ciências da natureza, a média caiu de 478,8 (2015) para 477,1 pontos.
Já em ciências humanas, na edição de 2015 a nota foi 558,1 pontos. Agora, ela ficou em 533,5 pontos.
ENEM 2016 - 2º DIA - PROVA AZUL - REDAÇÃO (Foto: G1 ) ENEM 2016 - 2º DIA - PROVA AZUL - REDAÇÃO (Foto: G1 )
ENEM 2016 - 2º DIA - PROVA AZUL - REDAÇÃO (Foto: G1 )

Tema da redação

O tema cobrado na última edição do Enem foi "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil". No dia da prova, em 6 de novembro, o G1 ouviu professoras de redação do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Campinas (SP), que listaram dicas e estratégias para não perder pontos na prova de redação.
Entre elas estavam: não focar nos 'caminhos' de combate à intolerância, fazer proselitismo e não se manter neutro e ficar só na superfície do tema. Além disso, a colunista do G1, Andrea Ramal, produziu uma redação modelo sobre o tema. Nas redes sociais, internautas se dividiram entre elogios ao assunto e o apontamento da polêmica que ele pode criar entre os adeptos de diferentes credos.
Na aplicação do Enem adiado, feito nos dias 3 e 4 de dezembro, o tema da redação foi "Caminhos para combater o racismo no Brasil". Na edição do Enem aplicada para pessoas privadas de liberdade, o tema da prova de redação foi "Alternativas para a diminuição do desperdício de alimentos no Brasil".

ATENÇÃO: Enem 2016 resultado com as notas individuais é liberado. COnfira sua nota aqui:


As notas com os resultados individuais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 foram divulgadas nesta quarta-feira (18). Para ter acesso, o participante precisa digitar CPF e senha no site http://enem.inep.gov.br/participante. O resultado também pode ser conferido pelo aplicativo oficial do Enem.
Logo após a divulgação, a página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apresentou instabilidade. No Twitter, usuários reclamavam que não conseguiam checar as notas.
Por volta das 12h, a presidente do Inep, Maria Inês Fini, admitiu o problema. "A consulta está à disposição, embora nosso site esteja sofrendo inúmeros ataques de pessoas que torcem contra a educação brasileira", disse Maria Inês Fini.
A presidente do Inep não deu detalhes de como ocorreram ou quem seriam os responsáveis pelos atos contra a página do Enem. "Estamos reagindo a esses ataques, tentando recuperar e colocar novamente no ar", afirmou Maria Inês.
Segundo o site “Is it down right now”, que acompanha a estabilidade de serviços conectados, a página enem.inpe.gov.br chegou a ficar fora do ar para todo mundo. O problema no acesso começou por volta das 11h30. Por volta das 18h, as instabilidades ainda persistiam. 

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Alunos do CE Pedro Álvares Cabral são beneficiados com aulas de educação física na praia de Copacabana.

Parceria com o Comitê Rio 2016 firmou atividades físicas dos estudantes do CE Pedro Álvares Cabral, em Copacabana, nas areias da Praia de Copacabana e nas modalidades paralímpicas do Voley Sentado e GoalBall na Unidade Escolar.

Para o Diretor Geral Francisco Júnior as atividades diferenciadas colaboraram para o ótimo desempenho dos estudantes do 3 ano ano no ENEM 2016, já que a UE ficou em 10 lugar entre as Metropolitanas III, IV e VI e em 3 lugar no âmbito da Metropolitana VI.

video

Conheça o GoalBall
História
goalball__632x400e.jpg
Foto: CPB
Em vez de adaptar uma modalidade às necessidades dos deficientes, o austríaco Hanz Lorezen e o alemão Sepp Reindle criaram, em 1946, um novo esporte direcionado aos veteranos da Segunda Guerra Mundial que haviam perdido a visão. A apresentação do goalball foi feita nos Jogos de Toronto, 30 anos depois. A partir dali, passaram a ser organizados campeonatos mundiais e, em 1980, a modalidade estreou nas Paraolimpíadas de Arnhem. As mulheres entraram para a disputa em 1984.
No Brasil, o goalball começou a ser praticado em 1985 e, 10 anos depois, a seleção nacional já conquistou a medalha de prata nos Jogos Parapan-Americanos de Buenos Aires. A estreia nos Jogos Paraolímpicos foi em Pequim-2008. Apenas quatro anos depois, em Londres-2012, a equipe masculina ficou com a inédita medalha de prata.
goalball_acervo_mpix_cpb__350d.jpg
Foto: CPB
Para as partidas, a quadra deve ter 9m de largura por 18m de comprimento. O jogo é dividido em dois tempos de doze minutos cada e as equipes são formadas por três jogadores titulares e três reservas, sendo que todos exercem, ao mesmo tempo, as funções de ataque e defesa. Assim como no futebol de cinco, há um guizo no interior da bola para emitir sons. Todos os atletas usam vendas nos olhos para não beneficiar quem tenha percepções luminosas.
Classificação
B1
Cegos totais ou com percepção de luz, mas sem reconhecer o formato de uma mão a qualquer distância
B2
Atletas com percepção de vultos
B3
Atletas que conseguem definir imagens
Curiosidades
Silêncio no ginásio
Assim como no futebol de cinco, o goalball é praticado com uma bola que tem um guizo em seu interior para produzir sons. Assim, os jogadores podem se orientar durante a partida. Por isso, o público não pode fazer barulho durante os jogos. O estádio, em silêncio durante a maior parte da disputa, difere bastante dos gritos que acompanham a maioria dos esportes.
Acesse também

Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV)
Site:
www.cbdv.org.br
E-mail: cbdv@cbdv.org.br




Fonte: http://www.brasil2016.gov.br/pt-br/paraolimpiadas/modalidades/goalball

ATENÇÃO: Novo cronograma de matrícula SEEDUC RJ 2017. Vejam as novas datas aqui:


Confira o calendário completo aqui

Ingressar na rede estadual de ensino é simples e rápido. A matrícula informatizada é a maneira mais democrática e prática para que alunos de outras redes, da própria rede estadual que desejam mudar de escola ou mesmo aqueles que pararam de estudar tenham uma oportunidade nas escolas estaduais.

CRONOGRAMA DA MATRÍCULA 2017

Renovação de Matrículas 2017

17/11/2016 a 09/12/2016
Inscrição 1ª Fase Matrícula Fácil

24/11/2016 a 22/12/2016
Relação nominal de todos os alunos alocados, disponibilizada na INTERNET – www.matriculafacil.rj.gov.br

30/12/2016
Confirmação da reserva de vagas para o Ensino Fundamental e Ensino Médio

04/01/2017 a 10/01/2017
Pré-matrícula – 2ª fase – INTERNET – www.matriculafacil.rj.gov.br, aos alunos não alocados, os que não confirmaram matrícula e os novos do Ensino Fundamental e Ensino médio, sendo 24 e 25/01/2017 exclusivos para alunos não alocados na 1ª fase

24/01/2017 a 27/01/2017
Confirmação da 2ª fase da matrícula nas escolas aos alunos do Ensino Fundamental e Ensino Médio

01/02/2017 a 03/02/2017
Matrícula direto na escola com as vagas remanescentes da Matrícula informatizada

A partir de 07/02/2017

DIVULGAÇÃO DA LISTAGEM DE ALOCADOS:

No dia 30 de dezembro, o resultado da inscrição será divulgado no site www.matriculafacil.rj.gov.br. É importante que você confirme sua pré-matrícula na escola em que foi selecionado no período de 04 a 10 de janeiro de 2017, portando a seguinte documentação:

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA CONFIRMAÇÃO NA ESCOLA:

I - Carteira de Identidade ou documento que a substitua (Certidão de Nascimento ou Casamento) - Original (será devolvida no ato) e CPF, se possuir;
II - Histórico Escolar ou Declaração da última Unidade Escolar em que estudou, constando a série para a qual o aluno está habilitado, ficando o original na escola;
III - Carteira de Identidade e CPF do responsável legal, no caso de menor de 18 anos, original e cópia;
IV - Laudo comprobatório de deficiências declaradas (se for o caso);
V - Comprovante de residência.
VI – Comprovante do Atestado com tipo do grupo sanguíneo e o Fator Rhesus ( fator RH), conforme disposto na Lei nº 6.683 de 15 de janeiro de 2014.


O CANDIDATO INTERESSADO PODERÁ INGRESSAR NAS SEGUINTES SÉRIES:

I - 6º, 7º, 8º e 9º Anos do Ensino Fundamental Regular;
II - Fases VI, VII, VIII e IX do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos;
III - 1ª, 2ª e 3ª Séries do Ensino Médio Regular;
IV- 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio Inovador;
V- Módulos I, II , III e IV do Ensino Médio da Educação de Jovens e Adultos;
VI- 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio Normal (Formação de Professores em horário integral).

A - Ensino Médio Vocacional Profissionalizante nas seguintes unidades escolares vinculadas à Secretaria de Estado de Educação:
I. CEIA Barão de Langsdorff;
II. CEFFA CEA Rei Alberto I;
III. CE Dom Pedro II;
IV. CE Infante Dom Henrique;
V. CE José Leite Lopes
VI. CE Comendador Valentim dos Santos Diniz
VII. CE Erich Walter Heine
VIII. CIE Miécimo da Silva
IX. CE Hebe Camargo

B- Ensino Médio Vocacional Intercultural nas seguintes unidades escolares vinculadas à Secretaria de Estado de Educação:
I. CE Hispano Brasileiro João Cabral de Melo Neto Brasil-Espanha
II. CIEP 449 Leonel de Moura Brizola Brasil-França
III. CIEP 117 Carlos Drummond de Andrade Brasil – Estados Unidos
IV. CE Matemático Joaquim Gomes de Sousa Intercultural Brasil-China
V. CIEP 218 Ministro Hermes de Lima Brasil-Turquia

C - Ensino Médio de Referência nas seguintes unidades escolares vinculadas à Secretaria de Estado de Educação:
I. CE Chico Anysio
II. CE Brigadeiro Castrioto
III. CE Almirante Rodrigues Silva
IV. CE Armando Dias

D- Ensino Médio Articulado ao Técnico nas seguintes unidades escolares vinculadas à Secretaria de Estado de Educação:
I. CE Jornalista Maurício Azêdo
II. CE Círculo Operário
III. CIEP 111 Gelson Freitas
IV. CE São João
V. CIEP 493 Professora Antonieta Salinas de Castro

COMO SE INSCREVER:

O candidato teve o prazo entre os dias 24 de novembro até 22 de dezembro para acessar o site www.matriculafacil.rj.gov.br. Na página eletrônica, existem informações sobre prazos, como se inscrever; escolas com vagas disponíveis; idade para se inscrever em cada série ofertada; e como e quando confirmar sua matrícula na escola.


RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA:

Se você já é aluno da rede estadual e deseja permanecer na mesma escola, é necessário que seja feita somente a renovação da sua matrícula na sua unidade escolar. Para isso, procure a secretaria da sua escola no período de 17/11 a 09/12/2016.

 Texto atualizado em 26 de dezembro de 2016.
Fonte: http://www.rj.gov.br/web/seeduc/exibeconteudo?article-id=2988628